Logo Eneq Final1 300×67

Por que eu fui ao XVIII ENEQ?

Encontro Nacional de Ensino de Química, 25 e 29 de julho de 2016.

Vania Moreira Lima

Licenciada em Química pela Universidade Federal de São João del Rei. Mestra em ensino de ciências pela Universidade Federal de Ouro Preto. Professora na Escola Estadual Ribeiro de Oliveira, em Entre Rios de Minas.

POR QUE EU FUI AO XVIII ENEQ?

Vania Moreira Lima

Professora na Escola Estadual Ribeiro de Oliveira, em Entre Rios de Minas

vaniamoreirali20@yahoo.com.br

Há mais de dezesseis anos, leciono Ciências e Química na rede estadual de Minas Gerais. conheço, de perto, os desafios de nossa formação acadêmica e continuada, além do trabalho laborioso de cada professora e de cada professor neste novo milênio.É nesse contexto que, desde a minha primeira oportunidade de participação no ENEQ, procuro me inscrever em todas as edições do evento.

Para quem ainda não teve a oportunidade de conhecer, o encontro Nacional de ensino de Química (ENEQ) constitui o maior e o mais importante evento da divisão de ensino da Sociedade Brasileira de Química (SBQ). De periodicidade bienal, o XVIII ENEQ ocorreu entre 25 e 29 de julho de 2016, na cidade de Florianópolis (SC). Promovido pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), pelo Instituto Federal de santa catarina (IFSC) e Instituto Estadual de Educação (IEE), foram 1.888 inscrições pagas, 839 pôsteres e 763 trabalhos completos submetidos,conforme dados divulgados no site do evento.

Entendo que a importância do evento vai muito além dos recordes numéricos superados a cada nova edição. O ENEQ reúne professores universitários, alunos da graduação e pós-graduação e professores da educação Básica. Daí a suma importância do evento. Vozes ecoam de todos os atores envolvidos com o ensino de Química. Trabalhos nos mais diferentes formatos, como palestras, painéis, minicursos, mesas redondas, conferências, comunicações orais, entre outros, expressam a preocupação de cada um em investigar e dialogar sobre novas possibilidades para o ensino dessa ciência.

Nós professores(as) temos um alcance e uma responsabilidade na vida de cada aluno. A participação no evento nos assegura que, em meio às novas aspirações da sala de aula, não estamos sozinhos.somos muitos, na universidade ou na escola da educação básica, almejando por um ensino de Química que ultrapasse a “disciplinaridade” do conhecimento. Eis o porquê de ir ao XVIII ENEQ.

Venha você também integrar essa equipe. Que em 2018, na receptiva acolhida de Manaus, possamos nos encontrar e prosear sobre o ensino dessa fantástica ciência.

Mol de abraços, Vania Moreira lima.

Em tempo: O ENEQ é também uma excelente oportunidade para rever amigos. Na foto, estou abraçada com Kelison Ricardo Teixeira, professor universitário e da educação básica, companheiro da pós-graduação. a outra companheira é a Adriana Moreira Lima, licenciada em Química, professora da educação básica e minha irmã.

Fonte: arquivo da autora

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *