CAPA 03 02 17(tamanho Solicitado)

Editorial

Fev-Abr-2017

Editorial RBEB- Ano 2 | Nº 2 | Jan./Mar. 2017

No editorial da primeira edição da Revista Brasileira de Educação Básica (RBEB), lançada em outubro de 2016, dividimos com nossos(as)  leitores(as)  o desejo de contribuir com a elevação da qualidade da educação pública no Brasil. Buscamos, por meio da publicação de experiências exitosas na educação básica, de debates e textos de apoio, levar aos nossos(as)  leitores(as) informação inspiradora e de qualidade. Acreditamos que a sala de aula é um importante espaço de produção de conhecimentos úteis à prática pedagógica, e que professoras e professores brasileiros necessitavam de um espaço como a RBEB para o compartilhamento e o reconhecimento de sua autoria. Mantemos nosso desejo e missão nesta nova edição.

Temos vivido tempos sombrios nos campos da política, economia, saúde, segurança pública e educação. Aprovada em outubro de 2016, poucos dias após o lançamento da RBEB, a Proposta de Emenda Constitucional n. 55 (ou PEC 241/2016 na Câmara dos Deputados), congela os gastos públicos por vinte anos. Com a justificativa de retomar o crescimento econômico do país, a maioria dos congressistas votou pela diminuição dos gastos públicos, apesar das grandes necessidades da população, sobretudo dos mais pobres. Esses senhores e senhoras que foram eleitos(as) para serem nossos representantes, não representaram, ou melhor dizendo, não respeitaram a opinião pública. Mesmo diante de mais de mil escolas e universidades ocupadas por todo o país, greves de professores e servidores, além de manifestos contra a promulgação da PEC redigidos por entidades profissionais, a voz do povo não foi ouvida.

A promulgação da PEC reforça as desigualdades sociais e econômicas dos brasileiros, retirando direitos universais adquiridos com muita luta em nossa jovem democracia. Com relação à educação, sua aprovação põe em risco as lutas por melhores salários dos professores e servidores públicos, planos de aposentadoria, construção de novas escolas, oferta de vagas no ensino básico e superior, acesso ao ensino superior, cursos de formação de professores, material e transporte escolar, além de outros direitos que, a partir de agora, poderão ser cerceados. A universalização da educação pública está, portanto, ameaçada.

Outro duro golpe à educação no Brasil foi a aprovação da Medida Provisória n. 746, conhecida como “reforma do ensino médio”, no último dia oito de fevereiro. Sua promulgação gerou intensos debates com relação a seu conteúdo controverso, seu estabelecimento em meio a crise política e a exclusão de especialistas em educação em sua elaboração. Para entender melhor o que a medida propõe, seus impactos na educação e o contexto político que envolve essa reforma, nossa entrevista desta edição foi com Orlando Gomes de Aguiar Júnior, professor da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais e que lecionou por quatorze anos no ensino médio.

Todos os impactos que essas mudanças acarretam ao ensino brasileiro não abalaram a missão e o foco da RBEB. Muito pelo contrário, firmamos nossos objetivos em fortalecer a atuação docente em busca da elevação da qualidade da educação pública brasileira. Desse modo, trazemos neste segundo número dez textos que mostram a competência e o potencial do trabalho desenvolvido por professores e professoras da educação básica.

Iniciamos nossa edição com o relato de experiência desenvolvido pelo professor Valdeci Reis, do Instituto Federal de Santa Catarina, intitulado: “Programa de rádio educação em debate: Desafios e estratégias para consolidação de uma prática educomunicativa”. Esse relato de experiência nos traz os resultados positivos de um projeto de extensão que envolveu escolas estaduais e uma emissora de rádio, que contribuiu para a formação de professores e alunos.

O segundo texto “Água e os impactos causados pelo homem: A aula de campo como Ferramenta para o ensino fundamental” desenvolvido por Carlos Henrique Felipe dos Santos, Laura Helena Pinto de Castro, Ivo Batista Conde, Roselita Maria de Souza Mendes e Lydia Dayanne Maia Pantoja, todos da Universidade Estadual do Ceará/Universidade Aberta do Brasil. O trabalho foi desenvolvido com alunos do ensino fundamental, em uma escola no município de Beberibe no Ceará, com o objetivo de analisar os impactos de uma aula de campo na construção de conhecimentos científicos.

Desenvolvido por Fernanda Ribeiro Toniazzo e Carla Roberta Sasset Zanette, o artigo “Algumas reflexões sobre a aprendizagem de leitura e escrita no sistema Braille sob a ótica da linguística em Saussure” traz contribuições para as práticas de inclusão de deficientes visuais na educação básica, a partir da reflexão sobre a aprendizagem no sistema Braille.

A fim de contribuir com as discussões sobre a oferta da disciplina de sociologia, aflorada com a proposta da reforma do ensino médio, o quarto artigo desta edição é o texto de Thais Sartori Scheffer, “Algumas reflexões sobre currículo de sociologia”.

O relato de experiência do professor Marco Aurélio Nicolato Peixoto, “A encenação teatral como metodologia no ensino de biologia molecular”, é o quinto texto deste número da RBEB. O trabalho do professor do Instituto Federal de Educação relata os resultados de uma sequência de ensino sobre biologia molecular, com alunos do ensino médio, utilizando como metodologia a encenação teatral.

O sexto texto desta edição da revista trata-se de um relato da trajetória do professor de história, Leonardo Ribeiro Gomes, na educação básica nas redes pública e privada da região metropolitana de Belo Horizonte – MG. O texto “Uma mudança de percurso profissional na educação” nos faz refletir sobre as condições de trabalho dos professores brasileiros.

O sétimo texto deste número relata a experiência desenvolvida pelos professores Leonardo Oliveira Barbosa e Nilma Soares da Silva. O texto “Investigando doenças veiculadas pela água” apresenta uma sequência de ensino com viés investigativo abordando doenças de veiculação hídrica desenvolvida no 6º ano do ensino fundamental em uma escola da rede municipal de Contagem, MG.

Com o objetivo de abordar os desafios na inclusão dos alunos com deficiência no sistema regular de ensino, o texto: “Principais desafios na inclusão dos alunos com deficiência no sistema educacional”, desenvolvido por Gabriel Gonçalves Oliveira e Lérica Maria Mendes Veloso.

Em uma parceria entre o Instituto Federal de Santa Catarina e a Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, os professores Vanessa Oechsler, Bárbara Cunha Fontes e Marcelo de Carvalho Borba desenvolveram um estudo com alunos do 9º ano do ensino fundamental que culminou no nono texto deste segundo número da RBEB: “Etapas da produção de vídeos por alunos da educação básica: uma experiência na aula de matemática”.

Para fechar nosso segundo número, apresentamos o artigo “O que a família espera da escola? O caso das famílias responsáveis por alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental no município de São João da Barra-RJ” desenvolvido pelo professor Daniel Pinheiro Caetano Damasceno, que aborda a temática da relação família-escola sob o ponto de vista familiar e tem por objetivo identificar e analisar as expectativas educacionais das famílias responsáveis por alunos de três escolas públicas.

Convidamos a todos a conhecer e divulgar as produções de nossos colegas professores da educação básica. Desejamos que essas abordagens possam nos inspirar em nosso cotidiano escolar e contribuir para o fortalecimento e reconhecimento do trabalho docente. 

Luiza Oliveira

Editora executiva da Revista Brasileira de Educação Básica

Luiza Oliveira

Editora Executiva da Revista Brasileira de Educação Básica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *