IMG 7549

Editorial

Dezembro 2018

Editorial Ano 3, número 11. Outubro – Dezembro de 2018.

A revista Brasileira de Educação Básica chega ao final de mais um ano. Nesta edição apresentamos dez textos entre artigos e relatos de experiência dos professores da Educação Básica, professores e estudantes dos cursos de licenciatura e pesquisadores em educação. Além dos textos a edição traz o segundo Episódio Escolas e Identidades da série O pão nosso de cada dia. Angélica Ferreira, professora do Ensino Médio na escola Estadual Lafaiete Gonçalves em Santa Luzia. Angélica levanta questões acerca de si, de seu lugar de origem, das construções de identidades dentro e fora da escola e dos desafios encontrados em seus primeiros anos de docência na Educação Básica, além dos desafios na execução do projeto Eu da Periferia: crônicas.

Nesta última edição de 2018 destacamos as análises feitas sobre livros didáticos estão apresentadas em dois artigos, no primeiro: A linguagem nos livros didáticos de matemática, Jurama Maia e Airton Carrião analisam como a linguagem da matemática escolar é utilizada nos livros didáticos para o Ensino Médio. Os autores diferenciam a linguagem matemática escolar, da linguagem matemática especializada, especialmente porque a primeira apresenta um desenvolvimento próximo ao processo de escolarização. No segundo, Abordagem CTSA nos livros de química do PNLD 2015 escrito a cinco mãos por Pedro Silva, Railton Andrade, Gilberlandio da Silva, Francisco Filho e Jacqueline Costa. Os autores analisam como quatro coleções de Química do PNLD-2015 abordam o conteúdo Reações Nucleares atrelado ao enfoque CTSA (Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente). Os dois artigos demonstram a importância da mediação do professor com os conteúdos apresentados no livro didático ainda que em muitos contextos o livro didático tenha um papel central.

Dois textos apresentam levantamentos bibliográficos. Maycon Miliorini e Ana Paula Brasil no artigo Homossexualidade na educação: perspectiva docente analisaram, a partir de levantamento bibliográfico, a percepção dos docentes sobre a homossexualidade na Educação Básica. A análise considerou o Ensino Infantil e o Ensino Fundamental e Médio e colocou a percepção dos docentes como fundamental para compreender como adultos de referência, podem contribuir, consciente ou inconscientemente, com a legitimação da homofobia. E o Professor de Educação Física, Glauber Custódio, apresenta uma revisão da produção de diferentes estudos sobre a temática da inclusão na Educação Física escolar no artigo Público alvo da educação especial na educação física escolar: algumas considerações. O recorte proposto no artigo foca em aspectos da participação de alunos público-alvo da Educação Especial nas aulas de Educação Física. Glauber Custódio analisa a relação que os dispositivos legais estabelece com a prática nesses estudos, revelando que a um distanciamento real e que os educadores se auto avaliam como não capacitados para lidar com o tema em suas aulas.

Já Daniela Moura Queiroz em seu artigo Educação como direito fundamental de natureza social analisa e apresenta uma reflexão da obra “O contrato social” de Rousseau, as diversas formas de regulamentação do direito à educação em nosso ordenamento jurídico. A proposta do tema do artigo implicou uma análise sobre onde está a ordem social e a liberdade civil, no processo de construção igualitária de uma sociedade democrática e justa, que precisa promover o bem-estar. Também ancorado em uma análise é o artigo da professora da rede estadual de educação da Bahia e uma das editoras da RBEB Cintia Luz. No artigo Vamos falar de história da educação nas escolas?, Cíntia Luz propõe que a História da Educação possa ser utilizada para a manutenção da memória escolar através do uso de fontes escritas, orais e iconográficas. A autora defende em seu artigo que a pesquisa em História da Educação como memória escolar faz “perceber que sempre vale a pena buscar, olhar para mais longe, crescer e continuar caminhando, sobretudo para ter compreensão das incertezas de um mundo em mutação que faz da escola um lugar de luta para obter políticas de preservação de sua própria memória”.

Por fim destacamos os quatro textos que apresentam experiências desenvolvidas no interior de projetos formulado por professores em escolas e salas de aula, e projetos voltados para a formação docente em universidades: É o caso do artigo: Jogos matemáticos: estratégia à aprendizagem significativa em escola pública na cidade do Natal, artigo de Heriberto Bezerra estudante de mestrado e José Mateus do Nascimento professor da UFRN. A proposta do artigo é investigar os benefícios da utilização de jogos, em sala de aula, à aprendizagem Matemática, além de refletir sobre a possibilidade de relacionar saberes inerentes desta disciplina as práticas do cotidiano. O artigo realiza uma revisão bibliográfica com autores que discutem a relação da educação com a educação matemática e com relatos de experiências através de oficinas realizadas através do PIBID.

O projeto “Seu coração já disparou hoje?” também desenvolvido no âmbito Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), subprojeto Ciências da Natureza, da Universidade Federal do Pampa – UNIPAMPA pelas bolsistas Angélica Tarouco e Aline Maia, juntamente com a supervisora Maria Alice Acosta e a coordenadora Crisna Bierhalz apresentam através de diferentes práticas que perpassaram a utilização de tecnologias, músicas, atividades lúdicas e experimentais, a importância da utilização de múltiplos recursos que possibilitam a interação e a relação do conteúdo com situações do cotidiano.

O artigo Protagonismo juvenil: a física que promove uma ação a favor da saúde visual de Reginaldo Borges e Hamilton Corrêa apresenta o trabalho realizado com um grupo de quinze educandos das três séries do Ensino Médio da Escola Estadual Maestro Frederico Liebermann, no município de Campo Grande/MS, com o tema “Anomalias ligadas à Visão”. A proposta se baseou nas reflexões teóricas de conceitos ligados à visão e suas anomalias e promoveu momentos em que os educandos, por meio de atividades práticas, tiveram a oportunidade de confrontarem suas ideias e expectativas, em um contexto de construção do conhecimento coletivo.

Assim também é o artigo que as professoras Carina Martins e Angélica Calvacanti apresentam. Trata-se de um projeto transdisciplinar realizado em uma escola privada na capital de São Paulo com o tema da Copa do Mundo de 2018. No artigo Aproximações interdisciplinares: projeto sobre a Copa do Mundo da Rússia. O objetivo do projeto foi de conhecer a Rússia, através de pesquisas individuais e coletivas e de atividades em sala de aula, suas particularidades culturais, sociais e históricas, além de análises geográficas sobre este distante país. O projeto foi realizado pelas professoras das disciplinas de Línguas Portuguesa e Espanhola e História, Geografia e Filosofia.

Por mais um ano, a Revista Brasileira de Educação Básica vem enfrentando o desafio de comunicar as experiências, projetos, análises e reflexões dos professores das inúmeras escolas brasileiras. A revista alcançou neste ano, o dobro de acessos do ano anterior. Foram 85 mil acessos em 2018, mais de 100 artigos enviados e quase 60 textos publicados na RBEB. Para o próximo ano daremos continuidade à nossa série especial “O pão nosso de cada dia” que apresenta as reflexões dos profissionais da educação em seus diversos níveis de atuação, além da nossa programação de vídeos e entrevistas, que tem o desafio de enfrentar o debate público sobre temas importantes para os educadores brasileiros. Também estamos programando a publicação de duas edições especiais e a elaboração de uma oficina com os professores da Educação Básica.

São muitos desafios não apenas para nós que fazemos parte da RBEB e do projeto Pensar a Educação Pensar o Brasil, mas para o país como um todo. A valorização do trabalho realizado pelos professores, a comunicação de suas práticas e da mediação que exercem em sala de aula entre alunos e os conteúdo é a central na prática de uma educação democrática e diversa.

Imagem de destaque: Thiago Rosado/Escola Estadual Lafaiete Gonçalves

This Post Has 2 Comments
  1. Vocês são maravilhosos e fazem um trabalho de excelente qualidade e de muito valor para nós educadores.Quero desejar a todos dessa equipe um Feliz Natal e um 2019 cheio de boas ideias e realizações.
    Abraços dessa leitora assídua de tudo que vocês fazem.
    Marisilda Sacani Sancevero

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *